Fazedores de Cultura: conheça a história de Tutty Vieira

 

 

Natural de João Neiva, Valdeir Santos Vieira, ou popularmente conhecido como Tutty Vieira, nasceu em outubro de 1970 e é casado com a professora de artes visuais Geovany e desde muito cedo já se interessava pela música. Com oito anos o menino já arriscava umas notas musicais e aos 11 anos, já tocava em seu peculiar e diferente violão de pau com cordas de linha de pescar.

Junto de seus amigos Celso Feu Correa, Ronaldo Vander Brito e Claudiomar Batista, Tutty tocava e cantarolava pelas ruas da cidade. Foi aí que seu primo o presenteou com seu primeiro violão, dessa vez, um instrumento de verdade. No ano de 1980, foi criado o circo com seus amigos que se apresentava no bairro Triângulo, onde todos da cidade iam assistir. Mas  o pai de uma das dançarinas jogou uma pedra de 10kg que fez o circo afundar, disse ele em risos. Em 1985 nasce o grupo “Brilho Forte”, composto por Tutty e seus amigos de infância. A banda se apresentava pela região, mas batia ponto sempre na famosa choupana. Hoje o local não existe mais, porém é conhecido como Renascer.

Algum tempo depois o grupo foi desfeito e os participantes seguiram suas carreiras, seguindo os conselhos do senhor Eliezer Pereira Ramos, Tutty procura meios para a gravação de seu disco. Como todo artista tem o sonho de gravar um CD, com Tutty não era diferente. O rapaz gravou seu primeiro disco, que se chamava “Herói” juntamente com Arlem Reali, graças a um edital que a Secretaria de Estado da Cultura (Secult), lançou e que oferecia a produção de um CD musical.

A carreira solo de Tutty foi proveitosa, mas após o lançamento de seu disco, ele foi convidado para outra banda, dessa vez a banda de axé “Simplesmente”. Além de músico, Tutty também era radialista, passando pelas rádios RCE, SIM FM de Aracruz e Líder FM. Nessa mesma época, ele recebeu o convite para dar aulas de violão na Pestalozzi de João Neiva, ficando surpreendido positivamente com o convite.

No ano de 2012 Tutty ingressou na faculdade de música. Formado, ele se especializou em Educação Musical e fez pós-graduação em Educação Inclusiva e Especial, dando aulas em locais como presídio para menores de Linhares IASES, Pestalozzi de João Neiva, onde continua até hoje com a parceria do Instituto Preservarte pelo projeto Música nas Escolas, Pestalozzi de Santa Teresa, Cras de João Neiva em 2017 e Pestalozzi de Linhares. Sempre seguindo os seus sonhos mesmo com todas as dificuldades.

 

 

 

 

Data de Publicação: quinta-feira, 10 de outubro de 2019